O museu não detém a propriedade de direitos autorais e não se responsabiliza por utilizações indevidas praticadas por terceiros. Saiba mais


Lisbonne. Statue du Marquis de la Bandeira
ML.FOT.3744.18

Cronologia

Dimensões

Mais informação

Da autoria do escultor italiano Giovanni Ciniselli (1832-1883), o Monumento ao Marquês de Sá da Bandeira foi inaugurado a 31 de julho de 1884.

 

Bernardo de Sá Nogueira de Figueiredo (Santarém, 1795 – Lisboa, 1876) foi um homem de ideais, um combatente permanente pela liberdade e pela igualdade. Nesse sentido, considerava que milhares de súbditos da coroa portuguesa – os escravizados – não gozavam das garantias que a carta constitucional lhes concedia. Foi, por isso mesmo, um abolicionista convicto, mas também um incrementador colonial. Advogava a abolição total da escravatura, considerando que só o trabalho livre e a instrução eram os verdadeiros fatores de desenvolvimento dos territórios africanos. Como legislador, e enfrentando as autoridades e os colonos de África, aboliu gradualmente a escravatura e o tráfico negreiro, com vários decretos-lei entre 1836 e 1869. O monumento que lhe presta homenagem foi financiado por subscrição pública e, entre os contribuintes, contaram-se vários antigos escravos.

 

Foi o próprio que escreveu o seu epitáfio: “(…) serviu o seu país, servindo as suas convicções, morre satisfeito. A pátria nada lhe deve".

 

Esta prova fotográfica, datada de c. 1890, escassos anos após a inauguração do monumento, fez parte de um álbum intitulado Lisbonne. Um exemplar desse álbum de vistas de Lisboa, que circulou certamente em meios franceses ligados ao nascente turismo internacional, esteve na posse do Eng. Augusto Vieira da Silva, tendo sido adquirido pela Câmara Municipal de Lisboa aos seus descendentes, em 1953.

A carregar...

Copyright 2022 © Museu de Lisboa Todos os direitos reservados
in web Acesso online à coleção Sistemas do Futuro